Imprimir

Fafram poderá sediar CTP de multinacional chinesa

AddThis Social Bookmark Button

Ituverava poderá sediar, em breve, um Centro Tecnológico de Pesquisa (CTP) da multinacional Kimberlit Agrociências do Brasil. O primeiro passo para viabilizar este projeto ocorreu na última segunda-feira, 27 de maio.

Representantes da Kimberlit, da empresa chinesa Changzhou Fuyi Drying Equipment Co. Ltda., fabricantes de maquinas fertilizantes, conheceram a Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram) e suas instalações, no campus II (Sítio das Acácias).

Estiveram presentes o diretor Shou Liang Zhou, a analista em comercio exterior da empresa, Grace Gao, o diretor Jair da Mata Teixeira, da Kimberlit Agrociências; e representantes da indústria chinesa Changzhou Fuyi. Eles foram recebidos pelo diretor da Fafram, Márcio Pereira; pela professora Anice Garcia, e pela gestora do Departamento de Marketing, Ângela Viegas de Freitas.

A Kimberlit Agrociências está desenvolvendo um adubo – uréia em cápsulas – para ser comercializado na China pela empresa Changzhou Fuyi Drying Equipment Co. Ltda.

“É um projeto muito grande e audacioso. Ninguém no mundo faz um trabalho como este: comercializar para a China um tipo de adubo. O produto em questão custa abaixo dos encontrados por lá – de 25% a 30% mais barato que de mercado chinês – e será de suma importância aquele país”, disse Teixeira.

O novo adubo está sendo testado em 10 hectares de terra, em Guatapara. Na segunda etapa da fase de testes, a Kimberlit do Brasil vai 40 toneladas do adubo para a China, para ser testado no solo chinês.

“O grupo estuda a viabilidade de criar um CTP em Ituverava, que seria monitorado pelos alunos do curso de Agronomia da Fafram e supervisionado pela empresa. Será uma parceria seria muito interessante para nós, pois é mais uma oportunidade dos nossos alunos terem contatos com várias empresas e com novas tecnologias”, afirma o diretor da Fafram, Márcio Pereira.

Produção de arroz
Atualmente, a China produz 40 milhões de toneladas de arroz. É o prato principal na mesa de 1,3 bilhão de chineses.

“Hoje, como o país não consegue suprir a produção, acaba importando o produto de outros países. Com essa nova forma de adubação, pretendemos ter menos perda no volume de produção ficando um custo mais barato para o consumo e com benéficos ao meio ambiente”, completou o diretor da Kimberlit.

Imprimir

Autoridades do Sudão visitam a FAFRAM

AddThis Social Bookmark Button

Visita foi a convite da empresa Busa, que é dirigida pelo tuveravense Luiz Carlos Rodrigues

Ituverava recebeu na última quarta-feira, 1° de maio, autoridades representantes do Governo e de empresas investidoras privadas do Sudão, Ahmed Abbas Mohamed Saad, governador do Estado de Sinnar; Amin Osman Adam , secretário de Agricultura do Estado de Sinnar; Mahdi Bashir Mohamed Ali, engenheiro Agrícola; Hago Hamadelniel Bakhiet e Abazar Yousif Mohamed Ali, engenheiros representantes da Empresa CTC.

A comitiva veio a convite do empresário Luiz Carlos Rodrigues, proprietário da Busa Indústria e Comércio de Máquinas Agrícolas. Os sudaneses, acompanhados pelo gerente de Exportação do Grupo Busa, Evandro Alves Lopes de Oliveira, conheceram a Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram) e a Santa Casa de Misericórdia.

O governador Ahmed Abbas Mohamed Saad ficou bastante impressionado com o que viu, tendo afirmado que em seu estado há uma grande carência em iniciativas como da Fafram e Santa Casa de Misericórdia, "pois em Ituverava a iniciativa privada se instrumentaliza para auxiliar o Estado no exercício de suas atribuições, como nas áres da Educação e a Saúde", ressalta.

Fafram
Na Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram), eles foram recepcionados pela diretora do Departamento de Marketing da Fundação Educacional de Ituverava, Ângela Viegas da Silva Freitas, pelo diretor do Hospital Veterinário da instituição educacional, José Dirceu Tardelli Falleiros e pelo veterinário Cléber Hilário de Paula.

De acordo Oliveira, a visita teve importantes objetivos. “É interesse do governo de Sudão firmar convênios com o Brasil, visando o intercâmbio de estudantes do setor agrícola. Dessa forma, existe a possibilidade da Fafram, que é referência nacional educacional, receber estudantes do Sudão”, afirma.

Santa Casa
Na Santa Casa de Misericórdia, os visitantes foram recepcionados pelo tesoureiro, Bruno Baldo Filho e pelas enfermeiras Juliana Gonçalves Delgado e Maria Gabriela Gontijo.

“Na Santa Casa, os representantes do Sudão conheceram o trabalho da instituição se saúde, que tem em sua diretoria muitos empresários da cidade. Também é interesse dos visitantes incentivar os empresários de seu país a fazer parte de instituições e entidades, com intuito de ajudá-las a se desenvolverem cada vez mais”, ressalta. Oliveira.

Agrishow
Três norte-americanos estadunidenses, também estiveram em Ituverava. O gerente-geral da Midville Warehouse em Midville, na Georgia, Ralph Sanderford; o gerente-geral da Cooperativa United Ag de El Campo, Texas, Jimmy Roppolo, e o gerente-geral da Smith Gin Coop. de Corpus Christ, também no Texas, Allen Lee Tiller.

Eles são clientes da Busa, e vieram à região para verificar os equipamentos que adquiriram recentemente da empresa e participar da Agrishow, maior feira agrícola da América Latina, que foi realizada em Ribeirão Preto.

Imprimir

Representantes da Bayer visitam estação experimental da FAFRAM

AddThis Social Bookmark Button

A Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram) - instituição de Ensino Superior mantida pela Fundação Educacional de Ituverava recebeu na última quinta-feira, 18 de julho, visita do gerente de Desenvolvimento de Produtos da Bayer na Região Sudeste, Rodolfo San Juan e do diretor de Desenvolvimento da Brasil & LatAm Pesquisa e Desenvolvimento, Bernard Jacqmin.

Eles foram recepcionados pelo diretor da Fafram, Márcio Pereira e pela professora Regina Eli Pereira na estação experimental da faculdade, onde avaliaram os ensaios desenvolvidos para as culturas de algodão, citrus, cana-de-açúcar, milho, manga, soja e amendoim.

O diretor de Desenvolvimento da Brasil & LatAm, Bernard Jacqmin, elogiou a organização da estação experimental da Fafram. "Fiquei encantado com o capricho com que são conduzidos os experimentos no campus. Portanto, parabenizo toda a diretoria e a equipe da Fafram", afirma.

De acordo com Pereira, os visitantes vieram fazer uma avaliação mais criteriosa dos ensaios das culturas.

"A estação experimen- tal trabalha com herbicidas desenvolvidos pela Bayer, portanto, a visita foi importante para a avaliação dos resultados, o que foi muito positivo",observou Márcio Pereira.

"A Fafram ficou honrada com a visita, pois a Bayer é uma multinacional alemã, portanto, é uma forma de elevar o nome da Fafram para diversas partes do mundo", complementa o diretor.

Imprimir

FAFRAM Recebe delegação alemã da empresa Bayer

AddThis Social Bookmark Button

Objetivo da visita foi avaliar os ensaios nas culturas, desenvolvidos em parceria com a instituição de ensino

Na semana passada, a Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram) – instituição de ensino superior mantida pela Fundação Educacional de Ituverava – recebeu a visita de da delegação alemã da Bayer, uma das maiores multinacionais do setor agrícola do mundo.

De acordo com nota enviada pelo Departamento de Marketing da FE, a delegação foi recebida pelo diretor da Fafram, Márcio Pereira, e conheceu o campus II (Sítio das Acácias) –onde funciona a faculdade – e os projetos desenvolvidos pela instituição de ensino, com a participação dos alunos dos cursos.

Estiveram em Ituverava o gerente de Desenvolvimento (LATAM - Latino América), Milton Suzuki; o técnico agrícola Raimundo Andrade; o gerente de desenvolvimento de produtos herbicidas, Dr. Thomas Auler; o Gerente de Produto - Depto de Marketing, Coralie V. B. Groeneveld; Gerente Mundial de Herbicidas – Marketing, Joerg Oeser; agrônomo de pesquisa Murilo Scarso; pesquisador Bayer, Juliano Della Valle; pesquisador de resíduos BPL; Tiago Liciotti; Gerente de Herbicidas do Departamento de Desenvolvimento Agronômico; Johann Reichenbach; gerente de Cultura Café e Citrus, Jader Caricati; coordenador de Desenvolvimento Agronômico, Rodolfo San Juan; Diretor de Marketing Bayer, Luiz Correa.

“O objetivo da visita foi avaliar os ensaios nas culturas de citros; cana-de-açúcar; soja, café; algodão; manga e milho. Os ensaios são realizados com objetivo testar a ação de herbicidas, no controle de pragas e doenças. Os resultados são ‘colhidos’ pelos estagiários e alunos da faculdade. A empresa utiliza este experimento para obtenção de registro do produto junto ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento”, explicou Márcio Pereira.

Ele ressalta ainda a parceria de sucesso com a Bayer. “Para nós, é um privilégio, pois é uma empresa presente no mundo todo, que busca sempre instituições de credibilidade para, juntas, desenvolverem projetos e a Fafram integra este rol”, concluiu o diretor.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

Projeto desenvolvido na FAFRAM é publicado em revista internacional

AddThis Social Bookmark Button

Pesquisadores realizaram trabalho utilizando colostro bovino na alimentação de bezerros

Pesquisa desenvolvida pelo veterinário Romeu Moreira dos Santos, ex-aluno da Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram), a professora da instituição de ensino, Fabiana Garcia Christovão, e os acadêmicos Antônio Marcos Piraice, Renan Furtado Oliveira, Beatriz Lopez Pena, Gabriela Azevedo Araújo, foi publicada na revista internacional InforLeite.

A publicação foi na edição deste mês do periódico científico, considerado um dos mais importantes da área de agropecuária. O projeto publicado foi “Silagem de Colostro”, desenvolvido no setor de Bovinocultura Leiteira da Fafram.

“A finalidade é substituir o leite administrado nos primeiros dias de vida do bezerro pela silagem de colostro, visando maior economia para o produtor rural”, explicou o veterinário Romeu Moreira dos Santos, ex-aluno da faculdade.

Segundo ele, o foco da pesquisa foi a utilização do colostro, um produto sem valor comercial, que na maioria das vezes é descartado pelos produtores.

O colostro, que é o primeiro leite da vaca, é rico em anticorpos, proteínas e lipídios, entre outras substâncias essenciais para o desenvolvimento do bezerro, que geralmente é produzido em excesso.

Processo
O veterinário Santos, explica o processo. “Foram armazenados todo o excesso de colostro produzido pelas vacas em garrafas pets, devidamente higienizadas, sem a presença de ar, para posterior fermentação anaeróbica e formação da silagem de colostro. Os resultados obtidos demonstraram que houve diferença significativa nos bezerros alimentados com o leite com silagem de colostro, gerando uma economia mensal de 120 litros de leite/bezerro, que poderá ser comercializado, representando economia para o produtor”, complementou Santos.

O diretor da Faculdade, Márcio Pereira, elogiou o trabalho do veterinário e dos alunos do curso de Veterinária da Fafram. “Ficamos orgulhosos pelos esforços dos nossos alunos sendo reconhecido, o que comprova a qualidade do ensino de nossa instituição, com 25 anos de lutas e conquistas”, concluiu.



Colostro ajuda a regular o próprio sistema

imunológico em desenvolvimento:


É rico em vitamina A que ajuda a proteger os olhos e a reduzir as infecções.

Ao estimular os movimentos intestinais para que o mecônio seja rapidamente eliminado, ajuda na prevenção da icterícia.

Vem em volumes pequenos, de acordo com a capacidade gástrica de um recém-nascido.

Imprimir

Professora de Agronomia da FAFRAM conclui doutorado na Unesp

AddThis Social Bookmark Button

Pesquisa levou três anos e meio para ser concluída

A professora Lívia Cordaro Galdiano Chicone, do curso de Agronomia, da Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram), apresentou, nesta semana, sua tese de Doutorado na Unesp-Jaboticabal. A pesquisa – cujo título foi “Qualidade da Matéria-Prima da Cana Soca Submetida à Aplicação de Maturadores em Dois Ciclos” – foi orientada pelo professor Miguel Ângelo Mutton e demorou três anos e meio para ser concluída.

A banca examinadora da universidade que analisou a tese, foi composta pelos professores doutores Ailton Antônio Casagrande, Silvelena Vanzolini Segato, Antônio César Bolonhese e Rafaela Rosseto.

“Minha pesquisa foi baseada na disciplina que leciono na Fafram. É continuação de minha tese de mestrado. Por já atuar nesta área, eu me senti mais confortável em trabalhar este tema”, disse a professora, em entrevista à Tribuna de Ituverava.

Ela agradece o apoio que recebeu da Fafram. “Obtive todo o respaldo desta instituição de ensino, que nos proporciona excelente preparo. É uma escola ótima, com estrutura privilegiada e corpo docente de primeiro nível. A todos, meu muito obrigado”, completa.

Lívia é casada com Adriano César Vieira Chicone e tem o filho Nicolas.

A Tese
Em entrevista à Tribuna de Ituverava, Lívia explicou que o objetivo do trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de maturadores, na socadeira da cana de açúcar, ou seja, analisar a matéria-prima.

“Depois de mais de 3 anos de pesquisa, conclui que a aplicação dos maturadores deve ser realizada em todos os anos, sob análise das condições climáticas e planejamento da cultura. Como resultado, a qualidade da cana atinge seu máximo depois de 30 dias da aplicação”, concluiu Lívia.

Imprimir

Projetos da FE são expostos em congresso na Espanha

AddThis Social Bookmark Button

Encontro internacional reunirá pesquisadores da área agrícola de todo o mundo

A Fundação Educacional de Ituverava participará do International Conference of Agricultural Engenering, que será realizado de 8 a 12 de julho, em Valência, na Espanha.

O Congresso reunirá pesquisadores da área agrícola de todo o mundo.A entidade que é mantenedora da Faculda-de Dr. Francisco Maeda (Fafram) e da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) – será representada pela coor-denadora-geral de cursos e pesquisadora Maria Amália Brunini, e pela professora Lidiane Ka- neziro, da FFCL.

Entre os projetos que serão apresentados, está a conservação pós-colheita de laranja e goiaba, desenvolvidos pela Fafram.

“Estas frutas são processadas e, dependendo do tratamento que recebem, o tempo para consumo pode ser prolon-gado. Por exemplo: a laranja, depois de colhida, deve ser consumida em ainda 5 ou 6 dias; recebendo o tratamento pesquisado e ela conservada a uma temperatura de 12º C, ela matem sua qualidade em até 25 dias. Já com a goiaba, que foi minimamente processada, seu tempo de vida útil aumenta de 5 para 12 dias”, explicou Maria Amália.

Veja Também

Prev Next