Imprimir

8ª Cavalgada Solidária da Fafram será no dia 29

AddThis Social Bookmark Button

noticia-cavalgada-2018

A saída está prevista para às 8h, no antigo posto Ceamel (entrada da cidade)

Está marcada para o próximo dia 29 de setembro, a 8º Cavalgada Solidária da Fafram, que está sendo organizada pela Faculdade Dr. Francisco Maeda, por meio dos Diretórios Acadêmicos de Agronomia e Medicina Veterinária.

A saída está prevista para às 8h, no antigo posto Ceamel (entrada da cidade). Os cavaleiros deverão passar por vários locais, como as Avenidas Dr. Soares de Oliveira e Dr. Paulo Borges de Oliveira.
Depois, o grupo segue para o Centro de Vivência da Fafram, onde será recepcionado para um almoço com a tradicional Queima do Alho, com música ao vivo. Todos os inscritos poderão participar do almoço.

O valor do ingresso é R$ 35 incluindo uma camiseta, e R$ 20 apenas o ingresso, que pode ser adquirido na secretaria da Fafram.

De acordo com o diretor da Fafram, Márcio Pereira, que é um dos organizadores do evento, a cavalgada, que já se tornou uma tradição em Ituverava, tem como objetivo reunir pessoas que gostam da atividade e promover a confraternização entre elas. “Buscamos principalmente realizar a arrecadação de produtos não perecíveis, seja em forma de cesta básica, materiais de limpeza, que serão doados posteriormente às entidades do município”, destaca.

Avaliação

“Após o evento, a comissão organizadora, que é composta pela direção da Fafram, pelos diretórios acadêmicos de Agronomia e Medicina Veterinária e pelos responsáveis técnicos do curso de Medicina Veterinária, se reúne para fazer uma avalição do evento e determinar a destinação dos produtos arrecadados”, observa.

“Acho importante manter essa tradição da nossa região, que envolve a prática de um esporte antigo e resgatar as suas origens. Esperamos mais uma vez contar com o apoio da população. Após percorrermos a cidade, nos reuniremos no Centro de Vivência da Fafram, para a tradicional Queima do Alho, bater papo, trocar ideias e discutir questão atuais do agronegócio”, completa Márcio Pereira.

Veja Também

Prev Next